O governo federal deve repassar até 800 milhões de reais para a intervenção no Rio de Janeiro, disse Temer
19/03/2018 20:57 em Notícias

O presidente Michel Temer afirmou nesta segunda-feira (19) que devem ser repassados entre R$ 600 milhões e R$ 800 milhões para a intervenção federal no Rio de Janeiro.

Segundo ele, os valores serão definidos pela equipe econômica nesta semana e a expectativa é de que sejam destinados entre R$ 3 bilhões e R$ 4 bilhões para o Ministério da Segurança Pública.

Em reunião, na noite de domingo (18), o Palácio do Planalto definiu que será enviada ao Congresso Nacional uma medida provisória abrindo crédito extraordinário para o Rio de Janeiro.

Ele anunciou ainda o envio de um projeto de lei de crédito especial para reforçar o orçamento da pasta da Segurança Pública.

 

O presidente informou os valores durante almoço oferecido pelo governo brasileiro a chefes de Estado que participam do Fórum Mundial da Água, no Palácio do Itamaraty.

Marielle

Na saída, ele informou que ordenou ao interventor Braga Netto que priorize as investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e que resolva o caso no “menor prazo possível”.

“A determinação é para apurar no menor prazo possível. Todos os esforços, e falei com o general Braga Netto na sexta-feira (16), é para aplicar todos os esforços e todos os recursos para logo solucionar essa questão”, disse.

Perguntado se será candidato reeleição, Temer sorriu e não respondeu à pergunta.

A vereadora Marielle Franco (PSOL), 38, foi morta na noite de quarta-feira (14) na zona norte do Rio.

Ela e o motorista do carro em que estavam foram baleados e ambos morreram. Uma assessora que a acompanhava sobreviveu.

Nascida e criada no Complexo da Maré, uma das regiões mais violentas da cidade, Marielle foi a quinta vereadora mais votada do Rio nas eleições de 2016, com 46.502 votos. Na Câmara, presidia a Comissão da Mulher e, no mês passado, foi nomeada relatora da comissão que acompanhará a intervenção federal na segurança pública do Rio.

Gafe 

No tradicional brinde, feito no início do almoço, o cerimonial do Palácio do Itamaraty cometeu uma falha. Não foi colocado no púlpito do presidente uma taça de champagne.

Sem nada para brindar, o presidente reclamou. “Não sei se vou levantar um brinde ou não, porque ninguém me trouxe um copo”, afirmou.

Com a queixa, um garçom se apressou e entregou uma taça ao presidente, que acabou conseguindo realizar o cumprimento.

Trégua

Considerado o mais importante evento internacional na discussão de temas como a crise hídrica, o 8º Fórum Mundial da Água iniciou no domingo (18) em Brasília sem ser afetado pelo racionamento que ocorre há mais de um ano na capital do País.

Até o dia 23, a região que concentra a maioria dos hotéis, o centro de convenções Ulysses Guimarães e outros pontos da área do evento deve ganhar uma trégua nas medidas de contenção do uso da água. “Neste período, vamos suspender [o rodízio] na região central para garantir o abastecimento de água dentro do fórum”, afirmou o presidente da Caesb (Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal), Maurício Luduvice.

 

Fonte: O SUL

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE